Conteúdo, síndrome da “GURUzice” e como você pode fugir disso

Depois de 2 meses sem postar nada, passando por um evento incrível e com muitas novidades, estamos de volta. Esses últimos 60 dias foram sensacionais e cansativos ao mesmo tempo. Em Maio palestrei (falando de venda passiva e ativa como afiliado) em um dos maiores eventos de Afiliados do Brasil. Em Abril lancei finalmente o meu curso em parceria com o Arlindo Armando, onde nós mostramos técnicas que realmente podem mudar a maneira com que as pessoas pensam em afiliação, inicialmente com apenas 25 pessoas.

No Afiliados Brasil uma coisa me chamou bastante a atenção, além do evento em si. Muita gente chegava para mim e perguntava coisas básicas e muito simples de responder. É claro que eu ficava honrado por poder ajudar, mas a cada pergunta que recebia ficava mais preocupado com o mercado de afiliação no Brasil. Nunca pensei que estivéssemos tão atrás em termo de estratégias e, principalmente, de conhecimento básico sobre o assunto.

Uma das coisas que mais me impressionou (até mandei um email para minha lista falando sobre isso) é que a grande maioria dos “gurus” quer vender, mas não necessariamente saber se está se fazendo entender. Muitos se preocupam com o dinheiro; poucos com a causa. Talvez seja por isso que a palestra do Marcus Lucas, do Libertação Digital, foi a mais emocionante de todo o evento e que fez a plateia aplaudir em pé. Alguns participantes, após essa palestra de encerramento do dia, deixaram o auditório em lágrimas. Ele mostrou o que significa empreender de verdade.

Uma decepção

Imagina que você está precisando resolver um problema, encontra o curso perfeito e compra. Depois de gastar 2 mil reais você percebe que o que está no curso é o que sempre vai continuar existindo, que não virão atualizações e que o máximo que você terá é um evento ao vivo onde provavelmente não conseguirá nem dar um “oi” para o “guru” que lançou o curso. Não estou generalizando, existem excelentes eventos presenciais, pessoas que merecem estar no palco porque não vestem a roupa de “super guru” e são humildes o suficiente para entender que estão ali por causa das pessoas que estão na plateia.

O que aconteceria se você passasse pela situação que eu descrevi acima?

Já falei sobre isso no artigo “Formula de lançamento, dado, informação e fracasso”, mas pude comprovar ainda mais depois de algumas aulas que lancei. É muito fácil criar conteúdo (muito fácil mesmo) seja em texto, em vídeo ou em áudio. Para gravar uma aula falando sobre venda passiva eu levo cerca de 40 minutos para poder tirar 15 minutos bons editados. Mas por trás dos bastidores eu levo meio dia (ou mais) para bolar uma maneira de fazer os alunos entenderem.

A imagem abaixo é da palestra “Como vender o 1º produto como afiliado” que eu dei para o programa Hotmart ACE. Demorei pouco menos de 40 minutos para gravar. Foi extremamente simples porque eu dominava o conteúdo e sabia exatamente o que falar em cada slide. A parte difícil foi pensar em como eu poderia explicar a técnica de maneira que qualquer pessoa pudesse entender e aplicar. Demorei 10 dias para preparar esse material (com exercícios) para que ficasse o mais didático possível e o resultado foi incrível.

A imagem abaixo é mais um exemplo do conteúdo dessa palestra. Você pode notar que todo o conteúdo é trabalhado pensando no entendimento de quem está visualizando. Se eu te perguntasse “o que você entende olhando para essas imagens?” tenho certeza que você me responderia que entendeu praticamente tudo.

Novamente, a questão não é gravar um vídeo, mas preparar o conteúdo que será entregue no vídeo da melhor maneira possível. Imagina se eu tivesse simplesmente criado um vídeo com alguns slides meia boca falando sobre tudo o que eu disse nessa palestra? São tantos detalhes que com certeza você não conseguiria entender. Por isso a preparação é primordial.

Apenas aqui na Escola Dinheiro, estou disponibilizando a palestra oficial junto com o Prezi (para que você possa ver e rever cada slide) e um mapa mental com um plano de conversão para blogs.

o X da questão

Mas o que tudo isso quer dizer e por que entrei nesse assunto? Porque depois do AB falei com o Marcus Lucas, com o Paulo Faustino, com o Flávio Raimundo, com o Rafael Rez Oliveira e várias outras pessoas, e todas foram unânimes em dizer que o evento desse ano foi incomparável.

Os palestrantes foram com foco em entregar conteúdo e foi o que realmente aconteceu. Os organizadores foram com foco em integrar todas as pessoas (palestrantes com palestrantes, alunos com alunos, palestrantes com alunos) e foi o que realmente aconteceu. Ninguém subiu ao palco como “guru” ou ficou inacessível como “guru”. Todos compartilhavam ideias e aprendiam a cada segundo. Como palestrante posso dizer que o mais gratificante não é subir ao palco, mas ter contato com pessoas que estão sedentas por aprendizado.

Já parou para pensar nisso?

Não sei se você já parou para pensar nisso, mas o marketing digital não precisa de “gurus”; precisa de pessoas dispostas a compartilhar experiência. Pensa comigo… Quais são os melhores blogs que você acompanha? Quais foram os melhores eventos que você já participou? Qual empreendedor você mais admira? Quais vídeos mais te marcaram? Quais artigos você nunca esqueceu? Quais pessoas fizeram você começar, ao invés de procrastinar? Podemos dizer que algumas palavras descrevem o motivo pelo qual tudo isso marcou sua vida:

  • Conteúdo: quando você encontra um bom conteúdo na internet, normalmente não esquece;
  • Experiência: quando alguém fala sobre a experiência que teve e te ajuda a melhorar, você nunca esquece;
  • Amizade: quando alguém desce do salto alto dos gurus para te ajudar, você nunca esquece;

O cúmulo da “guruzice”

Indo um pouco mais adiante (e aqui pode ser que algum guru não goste do que eu vou falar), sou cadastrado em dezenas de listas de emails e diariamente recebo mensagens com promoção, conteúdo e bla bla bla. Nunca me esqueço quando um “guru” enviou uma mensagem com a seguinte frase:

Nem sempre eu fui um expert… (e bla bla bla)

No momento em que eu li essa frase comecei a chorar (de tanto rir). Expert que é expert não fala que é expert, apenas transparece! Existem outras maneiras de mostrar que tem autoridade e o bom conteúdo é uma delas. Quem fala isso é totalmente egocêntrico, egoísta e ignorante, pois pensa que seus leitores são todos bobos. Por isso eu falei no inicio desse artigo “estamos muito atrasados”.

Quer aprender mais, aqui está a resposta

Não sou guru e estou longe de ser, mas posso dar um conselho que realmente vai mudar a sua vida no marketing digital: procure por eventos e pessoas que possam ter um contato mais direto contigo. Independente de qualquer coisa, é o contato direto e o bom conteúdo que vai fazer você crescer de verdade.

Espero que você tenha gostado desse artigo. Meu objetivo aqui não é agredir ninguém, apenas ajudar você a seguir no caminho certo e avançar todos esses anos que estamos atrasados.

Abraço!
Anderson Chipak