Como criar um blog grátis para uso pessoal ou fazer negócios

Aprender como criar um blog a principio é algo extremamente complicado, mas você vai ver que é muito simples.

Vou te mostrar em detalhes nesse artigo.

Mas antes, deixa eu te falar uma coisa importante.

Esse é um material longo que não mostra apenas o processo de criação do blog, mas dicas importantes para você se tornar um blogueiro profissional, se essa for a sua vontade.

Eu entendo que você pode não querer ler tudo e ir direto ao que interessa, por isso logo aqui embaixo você vai encontrar um sumário, do lado direito (o título vai estar como “Sumário” mesmo 🙂

Você pode escolher o conteúdo que quiser e navegar diretamente até ele, ok?

Então, vamos em frente.

Voltando ao assunto…

O grande problema quando estamos iniciando é justamente não conhecer nada ou muito pouco sobre blogs.

Por isso, antes de partir para a prática, quero explicar uma coisa essencial:

O que é um blog?

Sumário

De maneira bem simples, blog é um site feito para publicação de conteúdos de maneira dinânica…

Nele um autor pode publicar seus artigos, vídeos, fotos, arquivos e praticamente qualquer coisa que desejar.

É atualmente uma das formas mais eficientes de comunicação com quem está navegando pela internet.

Eu posso ter um blog, mesmo não sabendo nada sobre blogs?

Para ter um blog você não precisa entender absolutamente nada sobre o assunto…

Basta seguir um passo a passo simples e pronto.

Por que ter um blog?

Se você é um empresário, pode criar um blog para aumentar a visibilidade de sua empresa…

Se você é um empreendedor, pode criar para atrair clientes para seu negócio…

Se você quer apenas dar sua opinião, publicar fotos e videos ou quaquer outra coisa, pode simplesmente criar para satisfazer sua vontade pessoal.

Não existem regras!

Ops!

Me precipitei.

Existe apenas uma regrinha básica, principalmente se você tem o objetivo de ganhar dinheiro com anúncios ou atrair pessoas para seu negócio.

A regra é:

Deve existir demanda para o seu conteúdo.

Se você está querendo atrair clientes ou pessoas que lhe “repassarão” dinheiro, é interessante entregar o que elas querem.

Aliás, dá pra ganhar dinheiro com blog?

Com certeza!

Hoje em dia muitas pessoas fazem isso.

Veja como funciona:

  1. Você cria seu blog e publica conteúdo nele.
  2. Seu conteúdo é encontrado e indexado pelos mecanismos de busca, como Google e Yahoo.
  3. Quando uma pessoa pesquisa por algo relacionado ao seu conteúdo, os mecanismos de busca vão mostrar seu blog.
  4. O visitante chega ao seu blog e clica em um banner de propaganda.
  5. Você ganha dinheiro.

É claro que o processo é um pouco mais complexo, mas a partir desses passos você pode entender que é possível sim, ganhar dinheiro online com um blog.

Vamos começar a criar?

O processo de criação do blog pode parecer um pouco dificil.

Mas, acredite, depois que você faz isso algumas vezes tudo se torna simples.

Simples até demais.

O meu recorde de tempo para criação de um blog no WordPress foi de 7 minutos.

Domínios

A primeira coisa que você precisa fazer é encontrar um domínio que será o endereço do seu blog.

O que são domínios?

Os domínios são os endereços que damos aos nossos blogs. É como se o blog fosse uma casa e o domínio fosse o endereço dessa casa.

Por exemplo, o domínio do Problogger é problogger.com.br.

Você pode registrar praticamente qualquer domínio na internet, basta que ele esteja disponível.

Domínios já foram revendidos por mais de um milhão de reais

Para você entender como é interessante registrar domínios, tenho alguns exemplos de domínios que foram comprados por 30 reais e revendidos por milhões de reais:

  • Domínio sex.com.br – registrado por 30 reais e revendido por 13 milhões de dólares em 2011.
  • Domínio namorar.com.br – registrado por 30 reais e revendido por 15 milhões de dólares em 2012.
  • Domínio imoveis.com.br – registrado por 30 reais e revendido por 300 mil dólares em 2010.

Todos esses domínios foram comprados por pessoas comuns, que pagaram 30 reais e faturaram milhares ou milhões de dólares.

Essas pessoas mal sabiam que poderiam revender e ganhar tanto dinheiro assim.

Esse é um dos motivos para ter um domínio registrado.

Quanto custa para registrar um domínio?

O valor do registro de domínio varia entre 20 e 100 reais por ano.

Esse é um valor de manutenção que você paga apenas uma vez durante o período de 12 meses e é considerado o investimento mais baixo da internet.

Se formos considerar um domínio de 30 reais, são apenas R$2,50 por mês.

Qual domínio escolher?

Você já deve ter notado que existem vários tipos de domínios: .com.br, .com, .net, .net.br, .blog.br, etc.

Se a intenção é manter um blog que vai atingir apenas o público brasileiro, o mais interessante é registrar um domínio .com.br ou .net.br.

Caso contrário o recomendado são domínios .com ou .net. Na dúvida, registre sempre domínios .com.

Registre um domínio agora

É muito importante que você registre um domínio próprio por vários motivos:

  • Você é mais valorizado na internet
  • O valor é extremamente baixo
  • Mais visitantes chegam ao seu site ou blog

Para essa primeira “atividade”, recomendo que você visite o site da Godaddy e pesquisa por um dominio do seu interesse.

No momento da criação desse artigo, a página da Godaddy tinha essa aparência:

PAREIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII

Registrar um domínio próprio na Hostgator

Os tipos de blogs

Existem literalmente dezenas de empresas que oferecem serviços para criação de sites e blogs. Algumas são melhores outras piores. Aqui eu selecionei algumas das principais plataformas da internet com as quais é muito simples criar e configurar um blog. Ainda nesse artigo você terá um passo a passo de cada uma dessas plataformas.

Na imagem abaixo você pode notar que alguns CMS são específicos para websites, outros para blogs e outros para ecommerces.Utilização dos CMS para criação de websites, blogs e ecommerces

Na lista acima está faltando o tumblr que é muito utilizado atualmente.

Nesse artigo, falaremos mais de alguns que são bastante populares quando o assunto é criação de sites e blogs:

  • Wix – Plataforma de criação de sites em html 5 e flash com diversas opções de personalização. Permite que você crie um site profissional em apenas alguns minutos.
  • Webnode – Plataforma bastante semelhante à Wix, porém mais voltada para criação de sites em HTML. É relativamente mais fácil que a concorrente acima, porém não dispõe da possibilidade de criar sites em flash.
  • Blogger – Plataforma de criação de blogs do Google também conhecida como Blogspot. É totalmente grátis e fácil de criar, porém algumas configurações exigem conhecimentos especiais.
  • WordPress.com – Plataforma web do maior CMS do mundo. Semelhante ao Blogger, o WordPress.com permite criar um blog gratis e publicá-lo em alguns minutos. Sua utilização é um pouco restrita, porém mais fácil do que o Blogger.
  • WordPress.org – Maior e mais utilizada plataforma de blogs. O WordPress.org é instalado em um servidor próprio e permite ilimitadas customizações. Atualmente é o CMS mais utilizado pelos blogueiros que desejam fazer um trabalho sério.

Blog empresarial: 5 motivos para criar um

Sei que grande parte dos leitores aqui não são empresários, mas sei também que muitos são. Mesmo os que não são, pretendem ser um dia. Portanto, acredito que o assunto desse artigo é super relevante para quem quer ganhar dinheiro no mundo digital.

Pois bem, o assunto desse artigo veio à minha mente quando precisei visitar alguns sites locais de turismo na semana passada. Depois de passar por mais ou menos 10 empresas que ofereciam pacotes de viagem para o Sul do Brasil notei que nenhuma delas possuía uma boa comunicação com o cliente. Eram apenas sites de venda de produtos, como todos os outros, que não possuíam sequer Fanpages ou páginas falando sobre a empresa.

De lá para cá, o que ficou na minha cabeça foi uma indignação porque hoje em dia é praticamente indiscutível a importância de se ter um blog, tanto para receber mais tráfego quanto para interagir com os leitores.

Um blog empresarial não precisa ser pessoal

Muitos empresários falam que não são blogueiros e zombam da ideia de ter um blog. Eles olham para seus sites e veem um negócio muito bem estruturado, porém esquecem que essa visão é apenas deles, não de seus clientes.

Imagine comigo. Você é um mecânico, padeiro, designer ou paisagista. Será que criando um site apenas oferecendo seu serviço você conseguiria “se vender” sem mostrar na prática o que sabe fazer? Com um blog é possível mostrar seu conhecimento sem mostrar necessariamente uma intimidade maior com o leitor.

Embora pareça que essa minha afirmação seja contrária ao que eu falo normalmente, que o blogueiro tem que ser pessoal, a verdade é que qualquer pessoa pode passar suas competências sem que seja necessário conversar com o leitor em um nível mais profundo. Veja, por exemplo, os blogs de culinária. Eles publicam receitas, mostram como fazer e criam vídeos, mas nunca falam em um nível tão pessoal como estou fazendo aqui. E se esses mesmos blogs de culinária fossem colocados em sites de grandes hotéis ou restaurantes, não seria uma propaganda fora do comum?

5 motivos para começar um blog empresarial

Apesar das possibilidades, sei que muitos empresários podem ter milhares de boas razões para não blogarem. Eles não têm tempo, não tem experiência, não acham que vale a pena, não acreditam no potencial dos blogs. Todos esses pontos são válidos dependendo do ponto de vista. Mas, se você é ou quer ser um empresário, vale a pena analisar algumas razões pelas quais um blog pode ser parte integrante (e essencial) de um negócio.

1. Caro e trabalhoso, mas com retorno indiscutível

Antes de falar sobre esse ponto, pense comigo novamente. Quantas empresas não reclamam que manter um blog é trabalhoso, que exige gastos extras e que não vale à pena? No mínimo, dezenas. A empresa que matar essa objeção e dar a cara a tapa para inovar é aquela que sairá na frente da concorrência e acabará tendo maior sucesso.

A grande oportunidade de matar a concorrência é justamente no momento em que surge uma objeção como essas. Isso porque se um empresário tem receio de algo é sinal que seus concorrentes também terão. É claro que isso não é uma regra, mas o padrão de pensamento se estende pelo mercado. Quando alguém acha que é difícil, os outros também acharão até que chegue alguém para mudar isso.

Manter um blog é difícil, é trabalhoso e exige investimento extra. Em compensação um blog traz tráfego, mantém o leitor engajado e informado, passa credibilidade e melhora o branding. Isso para uma empresa, principalmente local, é incrível.

Não reclame, o retorno é melhor do que o trabalho.

2. Os clientes estão mais receptíveis do que nunca

Apesar de nós blogueiros estarmos deixando um pouco de lado a atividade do blogging para nos aventurarmos na criação de produtos e serviços (o que está totalmente correto – “quem não arrisca, não petisca”) as empresas não podem se dar ao luxo de gastar milhares de reais com anúncios tradicionais enquanto que o mercado está cada vez mais aquecido e receptível. Isso é uma total loucura.

É isso mesmo, aqui no Brasil os usuários estão totalmente receptíveis a blogs e pouco receptíveis a sites de vendas (a não ser que o cliente já vá com essa intenção). Podemos comprovar isso por nós mesmos. Quando procuramos por algo normalmente não esperamos promoções, mas dicas gratuitas e de qualidade sobre o que quer que seja. Mesmo que nossa intenção seja comprar um produto, queremos saber o que as pessoas falam sobre ele e como ele é visto pelos grandes blogueiros através de análises em vídeos e artigos. Podemos até dizer que a intenção seja comprar, mas somos mais receptíveis quando lemos algo sobre o assunto. E nesse caso não adianta investir em Adwords ou Facebook Ads, é preciso ter um blog (acredito que apenas esse motivo já seria suficiente para abrir uma nova aba e começar a pesquisar sobre como criar e manter um blog).

3. Mais tempo para consumir o conteúdo

Há seis anos, os Smartphones eram raros aqui no Brasil. Poucas pessoas conseguiam fazer mais do que enviar mensagens e fazer ligações. Nós não estávamos conectados ao Facebook, lendo notícias atualizadas ou enviando emails de ônibus ou metrôs. Ninguém estava sequer esperando ter um aparelho chamado tablet.

Felizmente as coisas mudaram para a melhor. A web está em constante amadurecimento e seus usuários aprendem cada vez mais a distinguir um bom serviço de um serviço de péssima qualidade. Quanto mais as pessoas navegam, mais criteriosas ficam com relação aos sites em que fazem suas compras. Se não vão com a cara do site, simplesmente saem e procuram outro. Isso é fato. Mas, é fato também que quanto mais tempo uma pessoa permanece em um site, maiores são as chances de ela consumir o conteúdo, produto ou serviço que é oferecido. E isso apenas os blogs podem oferecer.

4. Relacionamentos mais profundos

Um blog é onde uma empresa pode mostrar seu estilo de trabalho e suas particularidades. É através dele que o cliente percebe se a empresa é realmente boa e pratica o que fala. Dificilmente podemos mentir quando escrevemos artigos regularmente, pois uma hora ou outra a casa cai. O cliente sabe disso, mesmo que inconscientemente, e procura por uma relação mais profunda para tirar todas as suas objeções.

Matar a objeção e fazer um cliente confiar em uma marca ou produto é o desafio de muitas empresas e os blogs são as ferramentas mais incríveis para criar um relacionamento profundo e duradouro.

5. Ótima maneira de se destacar

A internet está literalmente infestada de empresas se matando para ganhar um cliente. Muitas delas, como eu disse no inicio desse artigo, não se preocupam com o cliente, mas com o que acham correto. Se você quer se destacar da multidão, preocupe-se em dar ao cliente o que ele procura e ele retribuirá comprando um produto seu. Todo mundo fala isso, mas poucos empresários prestam atenção a essas palavras e as pratica.

Criar e manter um blog é uma das maneiras mais efetivas de se destacar da multidão porque é algo que depende apenas do seu esforço, organização e dedicação. Independente de qualquer coisa, um blog é uma ferramenta de trabalho que permite vencer os milhares de concorrentes que ainda não tem uma boa visão sobre isso

Motivos que fazem o blog não ser um aliado

Ao longo dos últimos anos, a importância do conteúdo de alto valor, na geração de leads qualificados de vendas, aumentou tremendamente tanto para as empresas quanto para empreendedores digitais e afiliados. Mais do que nunca, as pessoas estão se concentrando em geração de conteúdo regular para seus mercados alvo com o objetivo de manter um fluxo constante de clientes.

Entre as maneiras mais efetivas de atuar na internet está a captação de contatos com o objetivo de criar um bom relacionamento com os possíveis clientes. Essa captação pode acontecer de diversas maneiras, incluindo a criação de Squeeze Pages e blogs exclusivos para esse fim. Cada uma dessas formas tem seus prós e contras, mas o blog ainda é o campeão por ser mais popular e acessível.

Muitas pessoas têm seus blogs lançados na internet, mas não alcançam resultados tão bons quanto poderiam se identificassem alguns pontos muito importantes, que definem o sucesso ou o fracasso de um blog. Esse é o motivo pelo qual muitas pessoas começam a blogar e desistem alguns meses ou semanas depois de iniciar.

Nesse artigo, vou colocar alguns pontos muito importantes que podem estar fazendo com que seu blog não tenha o rendimento que você gostaria, não consiga captar tantos contatos quanto poderia e não gere dinheiro suficiente para animar você a continuar.

Falta objetivo

Essa é a principal razão pela qual uma série de blogs deixa de causar impacto na internet.

Eles parecem não ter foco. Não há um padrão definido para o seu conteúdo e é difícil entender o que eles estão tentando alcançar através dele.

Como em todo negócio, você precisa ter um objetivo claro sobre o que quer alcançar através de seu blog. Não adianta esperar que um blog cresça absurdamente se o único tipo de post são fotos sem sentido algum e conteúdos fracos.

O blog deve ser tratado como um negócio que pode lhe render dinheiro e autoridade. Você deve ser claro sobre o que pretende alcançar através dele. Em outras palavras, deve haver uma razão pela qual você esteja colocando muito esforço em seu blog. Você está querendo atrair clientes para seu negócio? Quer captar mais contatos? Quer ganhar dinheiro vendendo um produto? Quer melhorar sua imagem? Quer ser conhecido na internet? Quer virar uma celebridade? Não existe aquela história de “vou lançar um blog apenas por lançar”. Nem que seja por prazer, mas sempre existe um objetivo.

Seja qual for seu objetivo, você precisa ser claro sobre ele. Se quer melhorar sua imagem, não adianta postar conteúdo e mais conteúdo, diariamente, mesmo sem ter o que falar. Nesse caso o melhor é preparar os artigos durante a semana e publicar apenas uma vez. Mas se você quer ganhar dinheiro com afiliados ou Adsense, convém que você publique mais conteúdo para que seu tráfego orgânico aumente. Tudo isso depende do seu objetivo.

Falta estratégia

Escrever por escrever não vai trazer novos contatos, pessoas que cliquem em anúncios e comprem os produtos que você recomendar. É preciso uma estratégia mais ampla, que inclua não só o conteúdo para o seu público-alvo, mas também um plano de como você vai promover esse conteúdo para atingir mais pessoas.

Pense comigo… Se você cria um artigo isolado, não muito bom, será que compensaria gastar dezenas ou centenas de reais para promovê-lo? Por outro lado, se você criasse uma série de artigos abrangendo vários pontos de um mesmo assunto, com certeza melhoraria sua reputação e autoridade caso essa série ficasse conhecida na internet.

Simples detalhes como esses representam economia de tempo e dinheiro na promoção do seu blog e dão visibilidade maior para sua marca na internet.

Sem público-alvo

Uma das coisas mais óbvias e comuns que fazem com que os blogs não tenham os resultados que poderiam é a falta de foco no público-alvo.

Com certeza você não quer que pessoas não ligadas ao seu nicho cheguem ao seu blog, quer? Mas você ainda continua escrevendo sobre assuntos aleatórios em um blog de nicho? Talvez esse seja o principal motivo pelo qual seu blog ainda não tenha dado certo.

Pense comigo… O meu nicho é Marketing de Afiliados. Se eu falar sobre “ganhar dinheiro”, “blogging” ou Adsense, ainda estarei falando sobre assuntos relacionados ao meu nicho. Quem chega ao meu blog para ler um artigo sobre monetização ou Adsense, com certeza pode se interessar por afiliados. Mas não adianta eu escrever sobre nutrição, pois as pessoas nem saberão o que significa afiliado.

Falando de maneira simples, uma das formas de acertar no público-alvo é entregando a ele conteúdos ligados ao assunto principal de maneira que ele se sinta em casa quando chegar no blog.

Sem conteúdo

Esse é o ponto mais forte desse artigo. Seu blog só tenta vender e “recomendar” serviços e cursos para que no final você ganhe dinheiro? Talvez seja por esse motivo que a sua lista não cresce e você não ganha dinheiro. Quer um exemplo disso? Visita o Viver de Blog, do Henrique Carvalho, e observa quantos artigos são úteis e quantos são de recomendações de produtos. Você se surpreenderia com os resultados que ele tem e com a quantidade de pessoas que o seguem.

Nada mais justo do que divulgar produtos em blogs, já que o conteúdo é grátis, mas não significa que os leitores querem ter uma recomendação de produto por post. Se isso acontecer, é mais fácil ter retrocesso do que progresso em seus resultados (menos dinheiro para o seu bolso).

Sem chamada

Nos artigos que se dispõem a vender algo, você pede para o seu leitor clicar e comprar? Esse pode ser o motivo pelo qual as pessoas não clicam e não compram os produtos que você recomenda.

Não é feio pedir para clicar e até os grandes empreendedores digitais fazem isso. Para você ter uma ideia, há tempos o Jeff Walker utiliza um padrão simples em seus links:

  • CLIQUE AQUI: Descrição + Benefício

As pessoas estão acostumadas a clicarem quando você pede para clicar, então use isso a seu favor.

Plugins indispensáveis para qualquer blogueiro

Como blogueiros, gostamos de procurar por bons plugins para suprir nossas necessidades diárias. É muito fácil se encantar com as centenas de opções disponíveis, mas definitivamente não é viável instalar muitos plugins porque no final das contas não utilizamos e acabamos esquecendo de excluí-los.

Nesse artigo, vou listar uma série de plugins que são indispensáveis para aumentar a velocidade de carregamento de um blog, tornar os posts mais atrativos, manter uma boa estrutura de links e se prevenir contra eventuais problemas. A grande maioria desses plugins eu já uso há pelo menos um ano e têm feito grande diferença nos meus projetos.

As três primeiras recomendações dizem respeito à velocidade. Antes de encontrar esses plugins, penei muito com blogs que demoravam a carregar e ainda por cima consumiam recursos desnecessários no servidor. Aprendi, da pior maneira possível, que 10 blogs pequenos mal configurados podem derrubar um servidor potente. Por isso, se você tem ou já teve algum problema de queda, vale a pena dar uma olhada.

WP-Cron Control

O WP-Cron Control pode literalmente salvar o seu blog. Existe um arquivo do WordPress chamado “wp-cron.php” que é responsável por executar tarefas como posts agendados, newsletters, backups etc. Ele é executado cada vez que alguém acessa o site ou que algo no painel seja modificado, o que causa um uso desordenado e muitas vezes desnecessário dos recursos no servidor. Isso é uma das causas de lentidão em grande parte dos blogs.

A não ser que seu blog seja absurdamente grande e, o “wp-cron.php” não precisa ser chamado com tanta frequência. O plugin WP-Cron Control permite que você desabilite o “wp-cron.php” ou programe ele para executar de tempos em tempos, evitando uso desnecessário de recursos do servidor.

Baixe o WP-Cron Control →

W3 Total Cache

Imagina ter dezenas de blogs, mesmo pequenos, rodando em um servidor VPS que executa o “wp-cron.php” frequentemente e ainda por cima cria uma página enorme do zero a cada novo acesso. Passei por esse problema, tive todos os meus sites fora do ar durante alguns dias até descobrir que cada blog rodando de maneira errada consumia o suficiente para derrubar o servidor. Depois de usar o WP-Cron Control e o W3 Total Cache esse problema sumiu.

O W3 Total Cache é, na minha opinião, o plugin mais completo e eficaz para aumentar a velocidade de um blog WordPress, por isso é indispensável.

Baixe o W3 Total Cache →

Asynchronous Javascript

Um blog WordPress com menus, widgets e plugins instalados contém vários códigos Javascript que são responsáveis por executar várias ações. Falando de maneira bem geral, esses códigos podem ser executados/requisitados/chamados de maneira síncrona ou assíncrona:

  • Síncrona: é quando uma nova chamada tem que esperar até que a chamada atual do Javascript seja finalizada.
  • Assíncrona: é quando podemos fazer várias chamadas ao mesmo tempo, sem a necessidade de esperar pela finalização da chamada anterior.

Não entendeu nada? Não tem problema! O importante é saber que quando um código Javascript é síncrono ele demora mais para ser executado e quando ele é assíncrono demora menos.

A grande maioria dos códigos Javascript em seu blog são síncronos, o que significa que a velocidade de carregamento dos elementos da página é lenta.

O que o plugin Asynchronous Javascript faz é justamente transformar todos os códigos Javascript em assíncronos para que eles sejam executados mais rapidamente. Embora o ganho de velocidade não seja perceptível em blogs com poucos códigos Javascript, com certeza será notado pelo Google.

Baixe o Asynchronous Javascript →

Podcasting Plugin

Fugindo um pouco da velocidade de carregamento do blog, quero falar um pouco sobre podcasting.

Apesar de muita gente estar gravando vídeos de grande qualidade e publicando em seus blogs, os Podcasts ainda estão muito vivos e são excelentes maneiras de atrair pessoas interessadas em bom conteúdo. O que muitos leitores procuram diariamente é uma maneira de se nutrir de informações relevantes, algumas vezes fora de seus computadores. Não é raro encontrar pessoas que gostam de ouvir podcasts em seus carros, indo para o trabalho ou quando fazem qualquer outra atividade.

O Podcasting é perfeito porque permite que você envie seus arquivos de áudio facilmente para o blog deixando-os disponíveis para que seus leitores ouçam diretamente do post. É um plugin muito simples, que faz tudo o que propõe e é perfeito para você fazer um barulho seus visitantes.

Uma das coisas mais interessantes desse plugin é que ele permite que você crie vários feeds de podcasts baseados na categoria, no tipo de arquivo e disponibilize diretamente no iTunes, utilizando inclusive as keyword pelas quais as pessoas podem encontrar seu conteúdo.

Pode ser que você tenha alguma dificuldade na criação de vídeos ou queira simplesmente passar uma informação rápida, sem ter que montar a câmera ou abrir um aplicativo específico para gravar. Nesse caso, criar um podcast é excelente. Como falei, muitas vezes as pessoas preferem algo mais simples.

Baixe o Podcasting Plugin →

Broken Link Checker

O Broken Link Checker é indispensável para qualquer blog. Ele verifica frequentemente os links que estão quebrados e permite que você faça a correção em tempo real, sem ter que entrar em cada artigo. Uma das coisas mais bacanas desse plugin é que quando encontra um link que não está mais funcionando ele envia um email informando sobre o problema.

Com as novas atualizações do Google, ter uma estrutura de links bem definida e funcionando perfeitamente é indispensável e nesse sentido o Broken Link Checker é essencial. Vale a pena utilizar.

Baixe o Broken Link Checker →

WordPress Database Backup

O plugin WordPress Database Backup faz exatamente o que o nome sugere: um backup de toda a base de dados do WordPress. Todas as configurações, artigos, categorias, páginas, tags, enfim, tudo é comprimido com gzip e enviado para um email cadastrado na data que você escolher.

O que eu faço com meus blogs é configurar os backups para serem feitos nas sextas-feiras e enviados para meu email. Lá eu crio filtros que movem o backup diretamente para pastas específicas, sem sequer entrar na caixa de entrada. Frequentemente, excluo os backups antigos e mantenho apenas uma versão. Isso garante que mesmo que aconteça qualquer problema, não perderei meu conteúdo.

Baixe o WordPress Database Backup →

Você é empreendedor? Aqui estão algumas dicas essenciais

Não é bom quando sabemos exatamente o que temos que fazer para ter sucesso? Você já teve aquela sensação de dever cumprido, aquele momento em que teve certeza absoluta que estava indo no caminho correto e não importava o que as pessoas dissessem, você confiava em seu trabalho?

Nos primeiros anos de internet, é absolutamente normal receber críticas, acertar, errar e aprender. O grande problema é que acabamos nos esquecendo do que aprendemos e caímos nos mesmos erros (que na maioria das vezes são bobos). Páginas mal construídas, imagens distorcidas, erros de concordância, erros de acentuação (que sempre aparecem), artigos mal revisados (ou nem revisados), baixa captura de emails, falta (ou falha) de interação com o leitor, uso de técnicas ultrapassadas de marketing, escolha de produtos errados para promover e vários outros erros. São tantas coisas para lembrar e para aprender que muitas vezes ficamos até desanimados. Isso também é algo normal, que acontece com os maiores empreendedores digitais.

Pensando nisso, resolvi agrupar em um checklist com 7 pontos principais todas as coisas que temos que pensar na hora de atuar de maneira profissional na internet. Algumas coisas se aplicam a blogueiros iniciantes, outras a avançados, outras a empreendedores com produtos próprios e até a quem quer apenas promover produtos como afiliado.

Espero que goste do conteúdo e deixe um comentário no final para complementar esse checklist. Pode ser que tenha alguma coisa que você queira acrescentar e que pode ajudar as outras pessoas (a grande maioria dos leitores aqui da ED costuma ler os comentários uns dos outros e participar).

Quão boa é sua escrita?

  • Você escreve títulos chamativos e que atraem os leitores?
  • Sua escrita se destaca da maioria dos blogueiros?
  • Você apresenta alguma forma de estatística, comentário ou depoimento em texto, vídeo ou áudio?
  • Sua chamada à ação é clara, convincente e principalmente não muito batida?
  • Quando você promove um produto, oferece acima de tudo valor ao seu leitor?
  • Seus artigos têm títulos que descrevem o assunto principal?
  • Você faz alguma chamada à ação acima da dobra (na parte visível da página)?
  • Você evita jargões e palavras que podem estar “fora de moda”? Isso é muito importante.
  • Você escreve do jeito que você fala com um amigo? Seu leitor é um possível amigo.
  • Quando promove algum produto, você usa provas de que ele realmente funciona?
  • Você demonstra sutilmente para seu leitor que você se destaca em seu nicho de mercado?
  • Você escreve com entusiasmo (sem exageros) e consegue passar alegria ao seu leitor?
  • Você cria subtítulos que facilitam o entendimento e o acompanhamento do texto pelo seu leitor?
  • Você relê seu artigo antes de publicá-lo definitivamente?

 Como está estruturado seu blog?

  • Você já identificou claramente o seu público alvo (sexo, faixa de idade, interesse etc.)?
  • O que há no seu blog para que as pessoas permaneçam nele?
  • O que há nele para que as pessoas voltem?
  • É um blog que se destaca? O que você faz diferente dos outros?
  • Que ações você deseja que seu visitante tome? Elas estão bem definidas?
  • Você entrega conteúdo de qualidade?
  • Você está construindo uma lista?
  • Você tem um objetivo claro para cada artigo (mesmo que seja apenas informar)?
  • Você está vendendo um produto ou serviço?
  • Você reúne constantemente referências para que possa criar artigos mais elaborados?
  • Você está construindo relacionamento com seus leitores ou apenas despejando dados?
  • Você construiu credibilidade e autoridade no seu nicho de mercado?
  • Você consegue ver seu blog como um ativo ou ainda vê como algo que só da despesa?
  • Você tem consciência de que precisa mais do que um simples blog para ganhar dinheiro?

 Como é o nome do seu domínio?

  • O nome do seu domínio é inteligente e sutil ou sem sentido e criado apenas para os motores de busca?
  • Você já usa seu próprio nome (ou de sua empresa) para melhorar seu posicionamento no mercado? Nesse ponto é importante notar que o conteúdo associado ao seu nome será lembrado pelo leitor. Se você ainda não estiver seguro que poderá publicar artigos de qualidade o melhor é não usar o próprio nome.
  • Você já usou a ferramenta de análise de palavras do Google Adwords para identificar o que as pessoas estão procurando na internet?
  • Escolheu um nome de domínio que prende a atenção desde o primeiro momento?

Quão profissional é o seu layout e a formatação de gráficos?

  • Você usa palavras brancas em fundo preto ou colorido que torna a leitura difícil?
  • Você tem um layout confuso? Nesse ponto, o legal é olhar nos grandes sites e “copiar” o que eles fazem de bom com relação ao layout.
  • Você usa banners grandes no topo, que são lentos para carregar e muito complexos, para promover um determinado produto?
  • Você usa grandes blocos de texto na sidebar, no topo ou em áreas comuns do seu blog?
  • Você escreve seu artigo com letras maiúsculas ou utiliza muito negrito para destacar as palavras (mesmo que elas não precisem de destaque)?
  • Você usa legendas e atributos ALT para descrever as imagens que coloca em seu blog?
  • Você usa muitas fontes, de vários tamanhos e cores em seu texto?
  • Seu blog carrega rápido ou demora?
  • Seu blog é tão limpo a ponto de o leitor chegar e se sentir “aconchegado”? Nesse ponto, pense de um escritório totalmente desarrumado e em outro totalmente arrumado. Qual passa mais credibilidade?
  • Você divide seu texto com subtítulos, pontos e fotos?

Como você está capturando, mantendo e trabalhando com seus contatos?

  • Seu formulário de captura está acima da dobra?
  • Você fornece incentivo (mesmo que seja um conteúdo extraordinário) para os visitantes fornecerem seus dados de contato?
  • Você tem um formulário de contato nas suas páginas de vendas? Sabia que isso pode reduzir as vendas em até 75%?
  • Você pede muita informação em seu formulário?
  • Você se comunica regularmente com as pessoas da sua lista? Sabia que cada mês sem comunicação representa perda de dinheiro, diminuição da credibilidade e diminuição da taxa de abertura? E sabia que depois de um ano a abertura cai ainda mais (por isso é preciso capturar contatos constantemente)?
  • Você captura pelo menos 20% dos contatos das pessoas que entram em seu site?
  • Você oferece algo que os leitores querem desesperadamente em troca de um email?
  • Você trabalha com um autoresponder bom o suficiente para acompanhar suas capturas de email, taxas de abertura, taxas de cliques e outros detalhes?
  • Você faz oferta com muita frequentemente para sua lista de produtos como afiliado?
  • Você gera pelo menos o dobro de valor do que normalmente oferece?

Quão fácil é para as pessoas comprarem?

  • Você recomenda um produto sutilmente através de uma citação ou de um exemplo?
  • Você tem certeza que o produto que você está promovendo não será desativado ao longo do tempo e o link ficará quebrado?
  • Quando está promovendo um lançamento, você oferece bônus para as pessoas que comprarem contigo?
  • Os bônus são atrativos e não estão sendo oferecidos por mais nenhuma pessoa?
  • Quando se trata de um artigo promocional, você fornece todas as instruções e links acima da dobra?

Quão bem você vende seu (em) blog?

  • Você acredita que conteúdo de qualidade não traz leitores de qualidade?
  • Você só usa um ou dois métodos de marketing (ou nem usa)?
  • Você terceiriza serviços ou gerencia a terceirização corretamente?
  • Você testa, monitora e ajusta?
  • Você trabalha apenas com a última moda do marketing ou utiliza os métodos efetivos (que já são comprovados)?
  • Você usa vários métodos de marketing, gratuitos e pagos, experimentando e testando o que realmente funciona? Isso é muito importante!
  • Você entende a estratégia de marketing que está usando ou faz isso apenas porque algum “guru” diz que é para fazer?
  • Você está sempre presente nas redes sociais, enviando emails e até mesmo sms?
  • Você usa SEO, Google Adwords, Google Places, Bing Ads?
  • Você constrói ou compra listas em seu nicho de mercado para promover seu produto (próprio ou como afiliado)?
  • Você já pensou em escrever (ou já escreve) guest posts para outros blogs do seu nicho e até mesmo de outros nichos?
  • Você já enviou artigos para diretórios (esquece isso!)?
  • Você já usou algum tipo de publicidade off-line gratuita para promover seu negócio (apenas se ele for local)?
  • Você procura por referências internacionais em seu nicho para estudar as técnicas que eles usam para ganhar mais dinheiro?
  • Você já esqueceu que existem promoções que pode fazer para seus leitores em seu blog? Isso era muito comum antes disso.
  • Você usa alguma técnica que se destaca, criada por você e que ninguém mais usa? Isso é muito poderoso.
  • Você realiza pesquisas para descobrir ainda mais sobre seu público alvo? O público muda regularmente. Pode se que hoje seu público seja X e amanhã seja Y.
  • Você faz (ou procura fazer) parcerias com pessoas que são lideres do seu nicho de mercado?
  • Você ajuda seus leitores a se envolver com os outros blogueiros do seu nicho? Isso traz credibilidade para você e para a outra pessoa.

Esses sete tópicos descrevem absolutamente tudo o que temos que considerar em nosso negócio online (principalmente nos blogs). Há quem diga que você não precisa fazer nada disso e simplesmente seguir seu instinto, mas é muito interessante parar e analisar a maneira como você está atuando na internet.

Como aumentar a saúde financeira do seu blog

Uma das coisas que tenho feito em meus blogs, e que recomendo a todos fazer, é otimizá-lo ao máximo para aumentar as conversões. É como espremer uma laranja até que não saia mais suco. Mesmo que você olhe para seus artigos e diga “Nossa! Está tudo perfeito.” sempre existe algo para melhorar. Se você acompanhou os últimos artigos sobre conversão, pode perceber que existe uma infinidade de coisas a se fazer para ter excelentes resultados.

Já falei muito sobre como direcionar um leitor para conversão através de seus artigos, utilizando links e banners, porém ainda não foquei no assunto que considero mais importante: a otimização pós publicação. Tudo o que você já fez em seu blog pode ser melhorado. Se você tem o objetivo claro de ganhar dinheiro na internet poderá transformar seus projetos em excelentes fontes de renda simplesmente melhorando o que já existe.

Para entender melhor, imagine que seu blog possui 50 artigos publicados, recebe 150 visitas por dia e converte cerca de 50 reais por mês em programas de afiliados. Posso garantir que nem todos os seus artigos possuem ligações corretas, banners bem distribuídos, listas de artigos recomendados e demais destaques para que a taxa de conversão seja maior. Se você passar, artigo por artigo, menu por menu, lista por lista, otimizando cada ponto do seu blog, verá sua taxa de conversão aumentar absurdamente em um curto período de tempo. Com as mesmas 150 visitas, porém direcionando melhor seus leitores, você pode aumentar seus lucros de 50 para 100, 150 reais ou mais. Isso significa aumentar a saúde financeira do seu blog.

O objetivo desse artigo não é mostrar uma sequencia lógica de passos que você deve seguir, mas listar maneiras objetivas de aumentar suas conversões. Procure aplicar pelo menos 5 dessas mudanças em seu blog e você verá diferenças sensíveis em seus resultados.

Retire ou mude os links inúteis

Em um blog, existem links que ajudam e links que atrapalham. Muitas pessoas (eu já fui uma delas) costumam incluir vários links logo no inicio do artigo. O mais comum é encontrá-los apontando diretamente para o domínio principal ou para artigos que não complementam o conteúdo em questão. Acontece que quando você inclui links logo no inicio do texto, ou muito próximos uns dos outros, pode estar direcionando o leitor para artigos que possivelmente não estão otimizados para conversão. Isso significa que você perderá uma possível comissão por deixar aberto um caminho para o qual o leitor não precisa ir.

No inicio do texto, mantenha somente links para landing pages ou páginas que convertam bem. Se o seu objetivo é trabalhar o link building interno, considere fazer ligações a partir do terceiro parágrafo. Isso porque para o Google um link no inicio do texto não pesa mais do que um link no final do texto, a única coisa que muda é a localização. Dessa forma você garante bons resultados tanto em termos de SEO quanto de conversão.

Inclua banners relevantes no meio dos artigos

Quando um leitor visita seu artigo, normalmente, ele está interessado em ler aquele conteúdo. Imagine unir o útil ao agradável oferecendo um produto relevante e que combine com o assunto que está sendo tratado? Essa é a formula do sucesso do Google AdSense. Por que não aplicá-la ao seu blog como um todo e ganhar dinheiro assim como você ganha quando alguém clica em um link de anúncio?

Isso não só parece simples, como efetivamente é! Para cada um de seus artigos, ou para os mais acessados e com maior tempo médio de permanência, procure incluir banners relevantes ao conteúdo. Se você está falando sobre moda feminina, ou roupda, inclua um banner da Marisa. Se está falando sobre computadores, inclua um banner da Dell. Se está falando sobre tênis, inclua um banner da Netshoes. E assim por diante. A ideia é oferecer sempre um produto relacionado a o que o usuário procura.

Inclua banners relevantes em categorias

As categorias, em blogs, são normalmente tratadas como simples categorias. Assim como no item anterior, é possível aproveitar esse espaço para incluir banners relevantes. Nesse caso, o trabalho é mais simples porque teoricamente cada categoria representa um assunto e combina com diversos produtos. Tomando como exemplo a própria Escola Dinheiro, a categoria Hospedagem poderia ter um banner para alguma empresa de hospedagem acima do primeiro artigo ou entre o primeiro e o segundo. Já a categoria Análise Técnica Forex poderia ter um banner para alguma empresa de cursos de análise técnica ou mesmo de forex. O importante nesses casos, como a variedade de banners é grande, é trabalhar com apenas uma rede de afiliados ou, por exemplo, o Hotmart para centralizar os ganhos.

Retire anúncios das páginas que não dão lucro

Quando o assunto é AdSense tudo é muito legal, bonito e simples. Basta personalizar, gerar o código e pronto! A questão é, você está tendo lucros com seus anúncios do AdSense ou está se iludindo com míseros centavos? No inicio, quando se recebe poucas visitas, definitivamente não compensa manter anúncios em seu site, a não ser que você os mantenha apenas nos artigos mais visitados, por vários motivos:

  • Blocos de anúncio do AdSense são muito chamativos e compatíveis com o conteúdo. Por um lado isso é bom, quando o valor do clique é alto, mas por outro ele tira a atenção do visitante, que poderia clicar em um banner de afiliado e comprar um produto, gerando uma comissão maior.
  • Se você fizer um levantamento das páginas que recebem mais visitas e possuem conteúdo com melhor valor por clique (baseado nas principais palavras-chave), poderá manter apenas blocos AdSense nelas, deixando as outras livre. Dessa forma, seu CTR aumentará e, mesmo com poucos blocos, você estará ganhando mais.
  • Foque em aumentar as visitas de seu blog e direcioná-las aos artigos com anúncios AdSense. Assim como você faz com programas de afiliados, direcionar os leitores para artigos com blocos de anúncio pode ser muito eficaz. Além disso, você poderá aproveitar os demais artigos para incluir banners de afiliados, como expliquei no item 2.

Distribua os artigos que mais convertem em diversas categorias

Uma categoria é, acima de tudo, um local de grande visibilidade. Você já parou para pensar que alguns dos lugares de mais acesso dentro de um blog são elas? Trate-as como se também fossem locais de possível conversão. Utilizando a Escola Dinheiro como exemplo novamente, pense comigo… sempre que você entra aqui e procura por algo relacionado a dinheiro, visita as categorias “Ganhar Dinheiro” e “Programa de Afiliados“. Considerando que muitas pessoas também fazem isso, o que aconteceria se o Paulo Faustino publicasse somente artigos extremamente conversíveis nessas categorias? Com certeza a taxa de conversão aumentaria e os lucros seriam maiores. Portanto, quando for publicar um artigo que tenha boas chances de conversão, pergunte-se: em quais categorias meu leitor procuraria por isso? Respondendo a essa pergunta você aumentará sensivelmente as chances de um conteúdo ser visualizado.

Inclua uma lista de artigos recomendados no final dos seus feeds

Uma das formas alternativas de ganhos, que não dá tanto resultado, mas que não pode ser desconsiderada, são os Feeds. Sempre que você publica um novo conteúdo, seu leitor o acompanhará e poderá clicar em seus anúncios. A questão é que a grande maioria das pessoas simplesmente ignora anúncios em feeds, justamente por se tratarem de leitores mais fiéis. Nesse caso, o que fazer para chamá-los à conversão? A resposta é extremamente simples. Inclua uma lista de artigos recomendados ao final do Feed. O detalhe é que esses artigos recomendados são justamente os que mais convertem ou que direcionam o leitor às landing pages. Uma lista sempre chama mais a atenção do que um banner.

Inclua uma lista de artigos recomendados na sidebar

Como comentei anteriormente, listas de artigos chamam mais a atenção do que banners. Comprovo isso há mais de 1 ano em meu blog, desde que publiquei uma lista de artigos recomendados na sidebar. Embora possa parecer manipulação, a resposta é que é e não é! Incluir uma lista logo no inicio da sidebar, além de ajudar o leitor em sua leitura, o direciona para páginas e artigos mais conversíveis. Em contra partida, tudo isso pode parecer uma “manipulação” e acabar afastando o leitor. Pensando em monetização, posso garantir, com toda certeza, que isso funciona de porque aumenta a visibilidade dos artigos.

Crie uma categoria de “artigos em destaque”

Novamente vou “bater na tecla” das categorias, pois são muito importantes no papel da monetização. Saber organizá-las de forma eficiente é essencial. Você já pensou em criar uma categoria “Artigos em Destaque” onde mantivesse cada um dos seus artigos mais conversíveis? E se você criasse um banner para promover essa categoria no topo de sua barra lateral? Quantas pessoas não acessariam essa categoria e leriam seus artigos otimizados? Quando lucro essa simples ação poderia representar? A ideia nesse caso é criar uma categoria onde você possa centralizar seus melhores artigos e então promovê-la em seu próprio blog, assim como você promove seus parceiros ou afiliados. Isso dá um resultado tremendo porque direciona muitos leitores para onde você deseja.

Se você não ganhar dinheiro com publicidade, “pare de promover”

O legal da monetização é que quanto mais radical você for, maiores são as chances de ganhar. Recentemente o Celso Lemes, do blog Criar Sites, parou de vender publicidade direta em seu site. Mesmo ganhando muito dinheiro, resolveu promover apenas o programa de afiliados da Wix. Desde então, tem relatado excelentes retornos financeiros. Embora o caso do Celso seja um pouco fora desse contexto, podemos aprender algo com isso. Se você não está ganhando dinheiro com publicidade direta, o melhor é parar de vender seu espaço e se dedicar a algo maior. Pode ser a promoção de afiliados, AdSense ou produtos próprios. O importante é ter o “tato” para saber quando está ganhando muito pouco por uma área que pode ser melhor aproveitada.

Promova afiliados em 50% dos seus links de menu

Definitivamente, não é feio oferecer coisas em seu blog. Isso porque, como você já presta um serviço de qualidade e gratuito, nada mais justo do que ter a oportunidade de ganhar dinheiro à partir do que você escreve. Pode ser que nem todos concordem com isso, mas utilizar o menu para direcionar os leitores para landing pages e páginas extremamente conversíveis é uma forma de aumentar ainda mais o tráfego nas páginas e artigos importantes de seu blog.

Em seus menus, na sidebar, no rodapé, no topo e em outros locais, considere incluir links diretos para páginas e artigos que convertam muito. Isto é, se você possui uma landing page falando sobre a Netaffiliation e outra sobre a Zanox, inclua-as em um item no menu chamado “Top Afiliados”. Já se você tiver algum artigo que fale, por exemplo, das melhores ferramentas de SEO (onde você ganha uma boa comissão por recomendação) ou as 10 lojas virtuais com afiliados mais rentáveis, inclua um item no menu chamado “As melhores recomendações”. Sempre que você notar uma oportunidade de direcionar o leitor para uma página que gere dinheiro, não perca essa chance.

Aproveite o final dos seus artigos

O final dos artigos é considerado, por muitos blogueiros, como sendo uma área de conversão zero. A grande verdade é que dificilmente os leitores chegarão até lá se o conteúdo for ruim. Mas, considerando que o conteúdo é rei e que grande parte dos blogs são de excelente qualidade, considere tratar essa área (que fica logo depois do artigo e antes da biografia do autor) como sendo de grande potencial. Nesse caso, inclua banners chamativos e listas que sejam extremamente relevantes. Se o leitor chegou até ali, é muito provável que clique em seu anúncio.

Foque nos artigos que recebem mais visitas

Se você sabe que alguns artigos recebem mais tráfego do que outros, foque em manter ou aumentar o nível de visitas. A ideia nesse caso é melhorar ainda mais o que já está dando certo. Mantenha-se focado em artigos que atualmente recebem uma grande quantidade de visitas e as direcione para os artigos pouco visitados. Dessa forma, além de você distribuir o tráfego, mantendo o leitor por mais tempo no site, ainda diminuirá a taxa de rejeição (e isso significa mais lucro – tanto com afiliados quanto com o Google AdSense).

Não acompanhe seus ganhos diariamente

Esse item foge um pouco do contexto do artigo, mas vale ser listado. Querer acompanhar os ganhos a todo momento é normal, porém muito prejudicial à produtividade. Deixe os relatórios de lado e se preocupe apenas com seu blog, nada mais. Pense que os ganhos não vão cair ou subir absurdamente, pois eles seguem um padrão. Não há nada a ser feito em um dia que faça seus lucros explodirem. Portanto, esqueça os relatórios das redes de afiliados, do Hotmart e do Google Adsense por pelo menos 29 ou 30 dias. Reserve apenas um dia do seu mês para delirar com seus ganhos e traçar metas para ganhar ainda mais dinheiro.

Estabeleça objetivos mensalmente

Naquele 1 dia em que você estiver acompanhando seus relatórios de ganhos, considere pensar no próximo mês. Quanto você gostaria de ganhar a mais? O que poderia fazer para alcançar seu objetivo? Como faria para mensurá-lo? É possível alcança-lo em apenas um mês? Se não, em quanto tempo pode alcançá-lo? Faça planos para atingir seus objetivos já para o mês seguinte. Se você considerar que pensou em algo maior, que não é possível alcançar em um curto período de tempo, estabeleça para os próximos dois ou três meses.

Procure aplicar ao menos uma das dicas que foram listadas aqui e você já estará no lucro. Ainda que esse artigo tenha ficado extenso e com muitos itens úteis para você conferir, acredito que existem muitos outros pontos que podem garantir o sucesso financeiro de um blog. Ajude a aumentar ainda mais essa lista com sua opinião.

Blogs, infoprodutos e padrão de pensamento

Por mais que algumas pessoas digam que não compensa tentar trabalhar com blog, alguns dos meus artigos sobre esse assunto são os mais comentados aqui na Escola Dinheiro. Isso significa que ainda existem pessoas que acreditam nisso e sabem que essa é uma fonte inesgotável de oportunidades. É onde você pode construir a sua base para vários anos, não somente para um momento específico.

Opa, opa, desculpe! Vou parar de chamar blog de blog. A partir de agora vou chamar blog de site. Esse nome soa melhor, não é verdade? Existem pessoas que fazem questão de detonar o nome “blog” na internet simplesmente porque querem se posicionar. E, para ajudar, nós brasileiros ingênuos acreditamos em tudo o que os outros falam. Acreditamos que blog é uma coisa ruim simplesmente porque fulano de tal disse que é uma coisa ruim. Mas não analisamos se o fulano de tal sabe alguma coisa sobre blogs. Não analisamos se o fulano de tal consegue gerar tráfego. Não analisamos se o fulano de tal consegue converter. Simplesmente acreditamos por acreditar.

Por que raios muitas pessoas criticam os blogs?

Porque essas pessoas não sabem 1% sobre como ganhar dinheiro com blogs. Essas mesmas pessoas têm um blog, mas usam somente para postar alguns pensamentos, como se fosse um diário. No fundo essas pessoas sabem que tudo pode cair, Youtube, Facebook, Google+, Instagram, Linkedin, mas o blog não cai. Elas sabem que o blog gera tráfego e lista de emails grati. E não estou falando isso somente agora, depois das mudanças do Facebook, tenho falado sobre isso ao longo dos últimos 365 dias.

O blog pode não ser uma boa maneira de começar para quem não entende absolutamente nada sobre o assunto. Mas se você entende 0,000000001% sobre como encontrar bons nichos ou sabe 0,00000001% sobre o assunto do qual falará, o blog é um bom começo para você.

Ou você acha que criar um produto digital e montar uma lista que mal abre seus emails é garantia de um negócio duradouro?

Não estou criticando quem faz isso, só estou falando que daqui a dois anos as coisas não serão tão simples como são hoje. Quem quiser se destacar no mercado digital terá que penar (e penar muito) para conseguir ter seu espaço. Aquelas pessoas que criam produtos meia boca e com informações repetidas, que sabem apenas fazer anúncios, que não se preparam para as mudanças do mercado e que ignoram os blogs simplesmente porque os gurus falam para ignorar, com certeza não estarão com seus negócios daqui a dois ou mais anos. Quer escrever isso e me cobrar depois?

Perda de padrão de vida

Já imaginou ganhar 20 mil reais por mês ao longo de um ano e depois sua renda cair para mil reais por mês? Como você se sentiria ao perceber que o padrão de vida que você mantinha simplesmente evaporou, que você não pode mais desfrutar de uma vida confortável, que você não pode viajar a qualquer momento e que você terá que procurar emprego novamente? Esse é o mesmo sentimento de pessoas que criaram negócios de momento, pensando apenas em ganhar dinheiro e esquecendo do longo prazo. Tenho certeza que você não é uma dessas pessoas. Você tem consciência de que um negócio na internet deve ser duradouro.

Sabe qual é o problema da mentalidade errada? As pessoas são levadas a acreditar que podem criar qualquer coisa sem entender absolutamente nada. Não estou generalizando, até porque foi comprovado que é possível criar um produto de qualidade em pouquíssimo tempo, estou falando apenas o que você mesmo pode comprovar. Abra o Hotmart pela manhã, clique em Mercado e tire um print screen. Volte à noite e faça a mesma coisa. Depois note que a área de Mais Recentes foi renovada com outros produtos.

Os mais quentes vendem

Agora perceba que os únicos produtos que vendem de verdade são os que estão entre os mais quentes. Isso significa que dos milhares de produtos disponíveis, apenas alguns realmente convertem. Entre esses que vendem, infelizmente não sabemos dizer quais realmente entregam valor e quais falam mais do mesmo.

Apenas para deixar claro, isso não é culpa do Hotmart. Ele é apenas um meio. Ele evolui a cada dia, mas não é responsável pelos produtos que entram.

Criar um produto digital é uma experiência incrível. Você tem que experimentar. É realmente muito bom e gera muito dinheiro, mas acima disso você tem que pensar em ter valor para entregar. Não basta ter uma câmera e algumas luzes, é preciso algo a mais. É preciso conteúdo. E nada é mais prazeroso do que receber comentários de pessoas dizendo que seu conteúdo é inigualável.

O que isso tem a ver com blogs?

Tudo. O mercado está martelando em sua cabeça que você precisa entrar nesse mundo agora, senão nunca mais conseguirá.

Eles querem que você pegue seu celular e simplesmente comece o mais rápido possível, mesmo que seja escrevendo frases engraçadas na internet ou criando um blog de musica.

São exemplos bobos, mas é isso que eles querem.

O mercado ensina que você tem que criar um produto digital. O mercado diz que blogs são ruins para começar. O mercado prega que os anúncios do Facebook são o único caminho. O mercado mente que todo mundo ganha milhões de reais, mas o Hotmart não reflete isso. O mercado faz isso porque ele é o mercado. O mercado é assim.

Você precisa pensar por conta própria. Quer uma dica? Esqueça os gurus. A maioria deles traz informações de fora do Brasil, em inglês, ou então copiam de alguém.

O jogo não é esse.

Sempre que você segue fielmente uma pessoa deixa de pensar com seu cérebro para pensar com o cérebro dela.

É bacana aprender com as pessoas, mas não seguir à risca o que elas falam, afinal elas podem estar erradas.

É como assistir televisão. Quando mais entretido você fica, maiores são as chances de ser manipulado. Por que você acha que as novelas brasileiras são consideradas as melhores do mundo?

Esqueça o papo de que começar com blogs é ruim ou que você precisa criar um produto digital urgente. Se você quer criar um produto digital, crie. Se você quer criar um blog, crie. Mas não esqueça de quebrar a cara. Não esqueça de “falir” seu blog ou seu produto, é assim que você aprenderá a fazer da maneira correta.

Checklist para blogueiros – 50 pontos da criação do blog até à monetização

Um grande problema que a maioria das pessoas enfrenta ao tentar criar um blog rentável e de sucesso na internet é passar por toda a sequência de passos que vai da escolha do domínio até a publicação de um anúncio. Embora isso pareça simples para os mais experientes, é algo extremamente difícil e doloroso para quem está começando. Digo isso por experiência própria, pois sofri muito com a publicação de meus primeiros blogs. Hoje, graças a um pouco mais de conhecimento, sei que não preciso instalar plugins desnecessários para ter um blog pronto para seu papel principal: obter rendimentos.

Nesse artigo, de forma clara e objetiva, quero apresentar um checklist que passo sempre que vou lançar um novo blog com o qual quero ganhar dinheiro. Como é algo muito pessoal, podem existir diversas variações dos plugins e da ordem na qual as coisas acontecem, por isso peço a ajuda de todos para que no final do artigo comentem com o objetivo de complementar essa lista. Lembrando que todo e qualquer comentário é bem vindo e agregará muito valor a esse artigo. Acredito que isso, além de beneficiar a nós mesmos com a troca de experiência, beneficiará também aos novos leitores e poderá se tornar um artigo referência na internet.

Itens do checklist

Análise de Nicho

  • O assunto é procurado pelas pessoas?
  • Tem um nível de concorrência razoável?
  • É comercializável?

Escolha do domínio

  • O domínio contempla a palavra-chave principal a ser trabalhada?
  • O domínio é fácil de lembrar?
  • O domínio é curto o suficiente para o usuário querer digitá-lo?

Escolha da hospedagem

  • Para CMS como Joomla, WordPress e Drupal: Servidor Windows ou Linux com PHP 5 e MySQL.
  • Apenas um blog novo: hospedagem compartilhada.
  • Vários blogs cujos acessos juntos ultrapassam 1.000 por dia: hospedagem VPS.

Configuração dos serviços essenciais

  • Configuração da conta do Google Analytics para uso futuro.
  • Configuração do Google Webmaster Tools.
  • Criação de uma conta no Akismet (Personal) e captura da API Key.
  • Cadastro em redes de afiliados de seu interesse.
  • Cadastro no Hotmart e/ou Clickbank.

Preparação para a instalação do blog

  • Atualizar o DNS do domínio para o DNS da hospedagem contratada.
  • Baixar o CMS (WordPress.org, Joomla, Drupal, etc.)
  • Criar o banco de dados, anotar o nome, a senha e o host.

Instalação do novo blog

  • Fazer upload dos arquivos do CMS servidor.
  • Incluir os dados de acesso ao banco de dados.
  • Fazer upload de um arquivo Robots.txt bloqueando o acesso dos mecanismos de busca, até estar tudo pronto.

Instalação dos plugins essenciais

  • SEO Yoast – contém várias opções de configuração e controle de otimização para os motores de busca. É considerado por muitos o melhor plugin de SEO juntamente com o All in One SEO.
  • GoCodes – embora esteja desatualizado, esse plugin camufla links externos e tem a opção de incluir automaticamente o atributo nofollow no redirecionamento.
  • Google XML Sitemaps – o SEO Yoast também gera sitemaps, porém esse plugin é mais eficiente e organizado. Ideal para submeter mapas para o Google Webmaster Tools.
  • Akismet – é o melhor plugin antispam para o WordPress. Já vem instalado por padrão, bastando incluir a API Key após o cadastro no site (grátis para blogs com poucas visitas).
  • Ad Injection – existem diversos plugins para incluir códigos dentro dos artigos e páginas, porém utilizo o Ad Injection e o considero o melhor nesse sentido porque além de poder escolher entre incluir um código, por exemplo do AdSense, no topo, meio, ou final do post, é possível configurar depois ou antes de quantos parágrafos ele será mostrado. Também podemos configurar o código para ser mostrado em posições aleatórias.

Existem diversos plugins espalhados pela internet, porém esses 5 são os mais importantes e devem ser instalados antes de qualquer coisa, até porque tudo depende deles.

  • SEO Yoast – deve estar instalado para fazer as configurações globais de SEO, antes de publicar qualquer coisa.
  • GoCodes – deve estar instalado para garantir que cada link externo seja camuflado e tenha o atributo nofollow.
  • Google XML Sitemaps – deve estar instalado para fornecer o mapa do site ao Google Webmaster Tools.
  • Akismet – deve estar instalado para evitar o recebimento de spam, que é muito comum a um novo blog.
  • Ad Injection – deve estar instalado para incluir banners, textos ou códigos de qualquer tipo e em qualquer lugar dentro do site.

Configuração do blog

  • Configurar links permanentes [Configurações > Links Permanentes].
  • Título do site ou blog [Plugin SEO Yoast] e [Configurações > Geral].
  • Fuso horário (UTC-3 para Brasil e UTC+0 para Portugal) [Configurações > Geral].
  • Ativar XML-RPC (para publicar de fora do WordPress, por exemplo, de um tablet ou smartphone) [Configurações > Escrita].
  • Escolha do tema do blog [Aparência > Temas].
  • Inclusão do código de rastreamento do Google Analytics [Aparência > Widgets] ou [Aparência > Editar].

Preparação das imagens que serão utilizadas no blog

  • Download do Fireworks ou Photoshop para criação de imagens mais leves e de maior qualidade. Outra opção é utilizar o Microsoft Paint salvando as imagens em formato PNG para não perder qualidade.
  • Imagens do topo: logotipo, banners personalizados, capas de ebooks, etc.
  • Imagens da sidebar: banners personalizados, captura de e-mails, capas de ebooks, imagens de destaque, redes sociais, etc.
  • Utilizar imagens no Background-Image do CSS ao invés de incluir através da tag IMG.

Organização da Sidebar

  • Redes Sociais.
  • Área de Destaque (landing pages, melhores artigos, artigos populares, etc.).
  • Área de subscrição bem preparada, para captura de e-mails.
  • Artigos recomendados pelo autor.
  • Área de banners para publicidade direta ou para promoção de afiliados.
  • Categorias.
  • Links de parceiros.

Inclusão de códigos nos artigos e páginas

  • AdSense ou banners de afiliados – no topo e/ou rodapé dos artigos (não incluir anúncios em páginas de apoio – como FAQ, por exemplo).
  • Destaque de captura de e-mails bem visível no rodapé dos artigos e páginas.

Criação de páginas de suporte

  • Como se inscrever na newsletter.
  • Como assinar um feed.
  • Como comprar anúncios em seu site.
  • Dúvidas frequentes.

Criação de landing pages

  • Levantamento dos produtos a serem promovidos
  • Criação de uma landing page para cada produto

Recomendação de leitura: Como ganhar R$451,60 no Hotmart com um blog novo em 45 dias

Criação de artigos convencionais

  • Criação dos artigos do blog que farão ligação com as landing pages
  • Criação dos demais artigos, linkando para as landing pages e para os artigos acima.

Liberação do blog

  • Liberação do arquivo robots.txt. A linha que estava com “Disallow: /” agora ficará “Disallow: ”. Dessa forma os mecanismos de pesquisa entenderão que podem indexar o blog.

Verificação da conta

  • Código de acompanhamento do Google Webmaster Tools
  • Código de acompanhamento do Google Analytics

Macro Checklist

Se fôssemos considerar a quantidade de itens identificados nesse checklist, com certeza ficaríamos desanimados e desmotivados. Porém, de uma maneira geral, tudo o que está listado aqui é o que já fazemos em nossos blogs e sequer nos damos conta. Basicamente esse checklist pode ser resumido da seguinte maneira:

  • Análise de Mercado
  • Registro de domínio e hospedagem
  • Preparação de contas externas
  • Instalação de um CMS
  • Instalação dos plugins base
  • Configuração do CMS
  • Preparação de criatividades e conteúdo
  • Publicação de anúncios
  • Liberação do blog para o “mundo”

Blogueiro, aprenda a desanimar e continuar em frente!

Deixe o desânimo tomar conta de você. É isso mesmo! Permita que a natureza do ser humano te deixe para baixo. Desanimar é totalmente natural, principalmente para nós blogueiros. Se você quer uma dica para a vida, ai vai: viva como um ser humano foi feito para viver. Sofra, sorria, fique triste, fique calado, fale bastante, mas faça tudo isso quando sentir vontade. Esse não é um artigo que ensina a blogar ou criar um site, mas ensina a melhor maneira de desanimar com sucesso.

É muito difícil encontrar alguém que confesse ter-se sentido frustrado e desanimado. E é mais difícil ainda encontrar blogueiros capazes de admitir que sentiram-se frustrados, desanimados e ainda continuaram com seus projetos. Os blogueiros que tem essa capacidade já passaram por fases difíceis em suas vidas e hoje conseguiram obter sucesso. Quem não admite é porque ainda não passou pela fase mais difícil.

A diferença entre pessoas de sucesso e pessoas fracas é muito pequena. As pessoas fracas, quando veem uma dificuldade, simplesmente arrumam desculpas para não alcançar o sucesso, ficam desanimadas e desistem. Enquanto que as pessoas de sucesso veem uma dificuldade, ficam receosas e às vezes desanimadas, mas seguem em frente com convicção de que isso é apenas uma fase. Na verdade as crenças das pessoas de sucesso as levam a acreditar que o sucesso é consequência de um trabalho sério e que obstáculos podem surgir.

Quando as dificuldades aparecem é normal querermos fazer de conta que está tudo bem, quando não está. Fazendo isso, imaginamos que estaremos enganando nosso cérebro, o que é um total engano! Deixar de ser natural é mais prejudicial do que agir naturalmente. Quando você está com vontade de gritar e grita, a vontade passa. Quando você está com vontade de chorar e chora, a vontade passa. Se você está desanimado e não se deixa levar por esse sentimento a sensação não passa. Em contrapartida, quando você deixa o sentimento tomar conta ele passa e você fica renovado, com muitas ideias e pronto para enfrentar as próximas fases.

O grande problema é: você vai se permitir ficar desanimado por quanto tempo? Se você desanimar e ficar na cama a semana inteira, quer dizer que está se entregando. Isso é depressão! Permita-se desanimar, mas por uma hora E PONTO! Esse é o tempo para descansar sua cabeça, esquecer de tudo e recomeçar. Nesse tempo, procure se divertir e ficar com pessoas que você gosta. Mantenha-se em contato com quem te faz bem e tenha certeza de que quando retornar a seus afazeres, fará tudo melhor!

Antes de pensar que o desânimo toma conta apenas das pessoas fracas, saiba que três coisas são responsáveis por isso. Depois que ele tomar conta de você, prepare-se para combatê-lo. Isso o ajudará a crescer e melhorar tanto como pessoa quanto como blogueiro. Algumas coisas simples podem ajudar nisso.

Prepare-se no dia anterior

A noite foi feita para dormir, mas antes disso considere se preparar para o dia seguinte. Pergunte-se: quais serão as minhas atividades para amanhã? Como essas atividades farão bem para o meu negócio? Como essas atividades farão bem para mim?

Uma ótima maneira para aliviar a sobrecarga e evitar o desânimo é criar metas a cumprir. Uma lista de atividades torna tangível o que normalmente é intangível. Faça duas listas, uma para o dia e outra para a semana, sempre colocando as piores coisas para fazer em primeiro lugar. Assim você tira os problemas da frente e fica com menos carga no final.

Veja um exemplo bem simples:

Preparação diária

Segunda-feira trabalharei apenas na criação de artigos. Vou criar 3 artigos, agendá-los no blog e nas redes sociais. Na terça-feira criarei follow ups para minha lista de emails e agendarei alguns broadcasts. Na quarta-feira gravarei 3 vídeos para meu canal no Youtube.

Preparação semanal

Segunda-feira – artigos. Terça-feira – emails. Quarta-feira – vídeos.

Veja que a lista diária é detalhada e a semanal serve para você ter uma visão geral da sua rotina e manter o foco. Sempre que você fizer tudo o que está nas listas, dê um tempo, vá passear, jogar vídeo game, sair com os amigos. Saia do Facebook. Não adianta ficar 24 horas online pensando que isso vai render mais dinheiro. Na verdade, isso gera mais stress.

Sua alimentação influencia no seu ânimo

Já ouviu alguém comentando “fiquei até desanimado” depois de comer dois quilos e meio de carne em uma churrascaria? É claro que estou exagerando, mas é para chamar sua atenção para a alimentação. O que você come influencia no seu ânimo. Se você come meio quilo de carne, dois pedaços de lasanha e três pedaços de pizza no almoço é óbvio que você ficará indisposto e desanimado. Nessa hora, não adianta tentar escrever nem fazer qualquer outra atividade, pois com certeza nada sairá com qualidade.

Se você quer garantir um ânimo maior, coma muita fruta, verdura, alimentos integrais (que são processados mais lentamente e dão sensação de saciedade por mais tempo), tome muita água, evite carne vermelha na maior parte dos dias da semana e não exagere em nada. Aprendi isso com o Anthony Robbins e literalmente fiz uma reviravolta na minha vida.

Dê a quantidade certa de combustível

O que acontece com um carro quando você anda na reserva até o seu limite? Uma hora o combustível acaba, você não tem um posto por perto e fica na rua. O que acontece quando você enche o tanque de combustível? O carro anda muitos quilômetros sem que você tenha que se preocupar. Mas, o que acontece quando você enche o tanque e ainda coloca cinco litros a mais? O tanque transborda e você fica com uma dor de cabeça terrível porque gastou dinheiro à toa. O ponto que eu quero chegar é que se estamos com fome, não temos vontade de fazer nada ou fazemos coisas com péssima qualidade. Se estamos satisfeitos ficamos dispostos para tudo. Mas se exageramos, nosso tanque não vai conseguir processar toda a comida, vai transformar o excesso em gordura e o resto vai eliminar. Todo esse processo consome muita energia e é a principal causa de indisposição.

Faça o máximo de coisas pela manhã

Uma das coisas que dão mais certo no combate ao desânimo é acordar logo cedo e fazer as coisas que temos que fazer. Pela manhã nosso corpo está descansado, a temperatura está mais amena, ainda não fomos afetados pelos problemas do dia, não conversamos com ninguém e estamos totalmente livres para usar todo o nosso potencial criativo. Pode notar que no período da tarde tudo acontece mais lentamente. Então, detone as atividades logo pela manhã para ficar livre à tarde. Você vai se sentir mais disposto sabendo que os problemas foram resolvidos logo cedo.

Como conseguir links naturais para os artigos do seu blog

Quando publicamos um artigo de qualidade, cujo conteúdo é apreciado por muitas pessoas, normalmente, recebemos citações seguidas de links apontando para esse conteúdo. Esses links são considerados pelo Google como pontos para quem criou o artigo. Quanto maior for a relevância do site que fez a citação, mais bem visto o artigo será pelo Google. O mesmo acontece com um site em si, quando melhor for seu conteúdo, mais será citado e mais bem visto será.

Falando superficialmente, esse é conceito criado pelo Google é utilizado atualmente pela maioria dos buscadores para definir se um site é relevante ou não e rankea-lo baseado nisso, e em vários outros fatores. Tudo funciona democraticamente de forma que quem recebe mais citações dos sites mais relevantes também aumenta sua relevância.

Entendendo isso, imagine que temos na internet pelo menos 1000 sites concorrendo para cada nicho de mercado. Nem todos esses sites recebem links de outros sites e os que recebem são mais bem posicionados do que os outros. Essa situação gera uma corrida em busca de links. Essa corrida pode ser chamada de link building, ou “construção de ligações”. O link building, por natureza, é uma espécie de garimpo de links não naturais onde o único interesse não é citar um bom conteúdo, mas melhorar o posicionamento de um site.

Como chegam os links naturais?

Os links naturais podem chegar a um site de diversas maneiras, mas em geral são os webmasters e blogueiros que criam artigos e complementam seus conteúdos citando outros websites. Essas citações, sem segundas intenções, podemos definir como links naturais. Para entender melhor o conceito de link building é necessário conhecer algumas maneiras pelas quais um bom conteúdo recebe links. Vamos a elas:

Quando um artigo de qualidade é publicado

A primeira maneira de definir se um link é natural é através da qualidade de um artigo. As pessoas não costumam citar artigos de má qualidade e que não complementam seu conteúdo. Isso não significa que o post deve ser extenso, cheio de imagens, vídeos, etc. mas que deve ser envolvente a ponto de gerar no leitor a vontade de citar o texto.

Quanto um site ou artigo recebe visitas suficientes

A segunda maneira de definir se os links recebidos são naturais é verificando se um site ou artigo especifico recebe uma quantidade de visitas condizentes com a quantidade de links recebida. Para entender melhor, imagine que você publicou um artigo que foi lido por apenas duas pessoas. A não ser que ele seja um conteúdo viral, é possível receber 500 links naturais? Isso não seria normal.

Quando o site já tem um bom tempo de vida

Se um site acabou de ser criado é normal que seu conteúdo não esteja muito difundido pela internet. Conforme o autor vai publicando artigos de qualidade, as visitas vão aumentando e o número de links (citações) também. Falando cruamente, no inicio um blog recebe poucos links e com o passar do tempo eles vão aumentando. Fugir dessa padrão não é natural.

A certeza do incerto

Sabendo que o link building é uma maneira de conseguir links não naturais, podemos dizer que sempre que você coloca a mão na massa e corre atrás de links para seu blog, está em uma corda bamba onde a única certeza é que o Google um dia poderá aplicar uma punição. Para entender melhor a ideia, imagine que você possui um blog que não recebe muitos links. Para melhorar o posicionamento você submete seus artigos a diretórios, escreve guest posts, publica nas redes sociais com perfis falsos, faz parcerias com outros sites, troca links na barra lateral, compra links, etc. Seu site com certeza subirá no ranking, mas sempre estará a mercê do Google. Se um dia eles resolverem punir sites que trocam ou compram links o seu estará na fila. Por isso mesmo, você deverá sempre ter em atenção os erros de link building a evitar no seu blog.

Como deveria ser o linkbuilding

Quem trabalha com SEO diariamente sabe que link building, além de ser extremamente delicado, é muito difícil de fazer. Entender que devemos ter links em proporções e com textos âncora diferentes para parecer natural é muito simples. O complicado é colocar tudo em prática com a certeza de que o site nunca será punido.

Muita gente prega maneiras de distribuir links corretamente, mas a questão é que não existe uma forma certa. O ideal é simular o comportamento humano e pensar como as pessoas pensam na hora de compartilhar ou citar um conteúdo, mas é tudo uma questão subjetiva. Eu posso acreditar nisso enquanto você acredita em outra teoria e o Google, por sua vez, não acredita em ninguém.

Embora exista essa incerteza, é possível utilizar a lógica para entender como seria o link building ideal. Vejamos:

1 – A maioria dos links devem vir de textos âncora referentes ao nome do site ou alguma frase expressando o artigo em questão. Não é natural receber links com uma palavra chave exata, a não ser que ela seja exatamente o nome do artigo ou do site. Já imaginou alguém linkando para a Escola Dinheiro com o texto âncora “vacina para gatos” sendo que nenhum artigo fala sobre esse assunto?

Note que na imagem abaixo, extraída do Open Site Explorer, a Escola Dinheiro recebe a maior quantidade de links com o texto âncora do próprio nome do blog (escola dinheiro – 7.161 links), seguido pelo antigo nome (fique rico – 842 links) e pelo autor (paulo faustino – 149 links).

2 – Se o site é bom, o normal é ter links dofollow. É muito disseminado pela internet que não é natural receber muitos links dofollow, mas, pense comigo, a maioria das pessoas que mantém um site não sabem, e nem tem obrigação de saber, o que é um atributo nofollow. Costumamos tratar isso com naturalidade porque entendemos um pouco de SEO. A questão é que pessoas comuns não entendem. Quando essas pessoas leem um bom artigo e querem recomendá-lo elas o fazem incluindo um link, e ponto. Sem alterar sua estrutura básica.

Para exemplificar, fiz uma pesquisa simples no Ahrefs por um site conhecido. Nesse caso utilizei o G1 da Globo.com. Na imagem a seguir você pode notar que a grande maioria dos links são dofollow. Do total de 6.670.047 links de texto, 95% são dofollow e apenas 5% nofollow.

3 – Os links vêm de acordo com a popularidade e disponibilidade de um domínio. O .com é mais popular do que o .net, que é mais popular do que o .org, que é mais popular do que o .edu, que é mais popular do que o .gov. Portanto, o normal seria receber mais links de domínios .com e seguir gradativamente até chegar ao .gov.

É interessante notar uma coisa. Domínios importantes, como .edu e .gov, que representam instituições educacionais e governamentais, são considerados de maior valor pela credibilidade que têm e pela dificuldade de serem registrados.  Note que o G1 tem mais de 3 milhões de páginas indexadas que recebem 6.670.047 links e apenas 43 deles vêm a partir desses domínios. Ou seja, 0,0006% são .edu e 0,00004% são .gov. É muito importante pensar bastante antes de tentar conseguir um link desses, pois mesmo uma pequena quantidade pode chamar a atenção do Google (no mal sentido).

Embora esses três pontos sejam óbvios depois que os analisamos, fugir muito desse padrão pode resultar em uma punição automática (por cair em algum filtro) ou em uma análise manual por alguém da equipe de qualidade do Google.

A realidade nua e crua

O Google tem se tornado mais justo com o passar dos anos. Embora muita gente diga o contrário, eles estão levando o conteúdo muito a sério. Mesmo o link building sendo ainda o grande foco do SEO, é preciso manter um site feito cada vez mais com o leitor e para o leitor. Infelizmente a realidade é dura para quem trabalha com SEO, pois tudo muda na velocidade da luz, mas isso representa mais benefícios para quem procura um bom conteúdo na internet.

Criar um blog empresarial – a melhor estratégia de marketing

Muitos novos empreendedores quando abrem uma empresa e criam um site comercial tem uma ideia fixa de promover seu site em uma variedade de lugares: agregadores de links, redes sociais, fazendo comentários em blogs, comprando artigos patrocinados, enviando guest posts e banners para sites de nicho, etc. Promover um site comercial dessa forma tem seus benefícios e malefícios:

  • É a maneira mais fácil de ter o nome da empresa conhecido no mundo virtual sem ter que investir muito dinheiro. Com cerca de mil reais gastos em artigos patrocinados o site recebe diversos visitantes que se tornam seguidores.
  • Comentar em blogs e redes sociais abre espaço para uma maior interação entre o dono do site e os clientes potenciais. Além disso, com o tempo o artigo fica “maduro” e passa a receber mais visitas, o que traz mais retorno.
  • É possível linkar novamente para o site e receber visitas de qualidade por tempo indeterminado.
  • Infelizmente é impossível mensurar esse tipo de ação, pois não temos controle sobre os agregadores, redes sociais ou sites de terceiros, dependemos das visitas que recebemos desses sites e nada mais.

Criar um blog empresarial é uma ótima estratégia

Criar um blog empresarial (blog) é uma das melhores estratégias de marketing que uma empresa pode ter atualmente por vários motivos dos quais vou falar nesse artigo. Existem literalmente dezenas de maneiras de construir algo na internet, mas no caso de empresas vamos tratar da Wix, uma empresa especializada em criação de sites e blogs. Com ela é possível desenvolver um blog profissional em apenas alguns minutos.

Blog empresarial

Por que criar um blog empresarial?

Como comentei acima, fazer um blog empresarial é a melhor maneira de promover uma marca e mantê-la visível para seus clientes sem a necessidade de muito esforço, apenas dedicação.

  • O blog vai naturalmente atrair mais tráfego para o site comercial da empresa, pois será mais atualizado e aparecerá nos mecanismos de busca.
  • Um blog é o lugar ideal para compartilhar conhecimento e interagir com clientes e leitores de maneira aberta, sem a necessidade de manter-se na postura de vendedor.
  • Os clientes potenciais acompanharão as postagens do blog e comentarão sobre suas necessidades.
  • O tráfego que virá do blog é totalmente qualificado, pois as pessoas que visitam blogs procuram por assuntos específicos. De acordo com o Hubspot, empresas que usam blogs geram 55% mais tráfego para os seus negócios.

Criar seu próprio blog lhe dará a chance de mostrar mais sobre seus produtos e serviços e possivelmente criar um relacionamento duradouro com seus clientes, o que não é possível com um simples site comercial. Com certeza, no mundo dos negócios, relacionamento é tudo!

Um blog demanda tempo

É preciso ter em mente, entretanto, que criar um blog próprio requer compromisso e toma um bom tempo. Para manter um bom blog é preciso criar novos artigos, responder comentários, promovê-lo a amigos e parentes, postar notícias, divulgá-lo em redes sociais, etc. Porém o retorno obtido com poucas horas diárias é compensador a médio e longo prazo.

Blog demanda tempo

Empresários de sucesso que possuem sites empresariais tem um bom blog por traz de tudo. É ele que faz grande parte das vendas e recebe a maioria das visitas. Ao invés de deixar que outras empresas lancem novidades, eles são os primeiros a lançá-las em seus blogs. Dessa maneira atingem seu público alvo com algo inédito. E isso resulta em lucro para a empresa.

O resultado é excelente, mas exige um esforço extra para lançar artigos e trabalhar neles de forma que fiquem perfeitos para os leitores. Isso significa contratar um escritor, analisar assuntos e público alvo, estudar a fundo seu nicho de mercado, etc. Fazendo isso o retorno, principalmente a longo prazo, pode ser extremamente satisfatório.

O primeiro passo

O primeiro passo para criar um blog desse tipo é encontrar um gerenciador de conteúdo, ao invés construir uma arquitetura nova. Anteriormente falei da Wix, que é uma empresa especializada em sites e blogs, mas existem diversos outros gerenciadores sensacionais no mercado. Alguns deles são muito conhecidos dos blogueiros que já trabalham com a internet.

O primeiro passo

Os gerenciadores de conteúdo, também conhecidos como CMS, que recomendamos são:

  • WordPress.com – plataforma gratuita com gerenciamento pela web. Não precisa de uma hospedagem própria. Menos flexível.
  • WordPress.org – plataforma gratuita com gerenciamento próprio. Necessita de hospedagem paga. Mais flexível.
  • Blogger – plataforma gratuita do Google com gerenciamento pela web. Não precisa de uma hospedagem própria. Menos flexível.

Desses três, o mais recomendado é o WordPress.org porque permite que você instale e configure o blog todo em seu servidor. Isso faz com que você seja verdadeiramente o dono do blog, pois no WordPress.com e no Blogger você está sujeito às alterações feitas pelas empresas responsáveis.

Está pronto para começar?

Sua empresa já possui um site? Criar um blog é uma tarefa relativamente simples, desde que seu site esteja preparado para uma estrutura nova. Verifique se o layout do site já trabalha com estruturas do padrão W3C ou trabalha com estruturas em tabela. Caso o layout seja feito em tabelas, dificilmente será possível criar um sistema de blog. Se estiver no padrão W3C a tarefa será um mais simples, pois o site trabalha com blocos editáveis, chamados de DIVs.

Fazer um blog não é tarefa difícil, mas assim como qualquer outra coisa requer um empenho inicial, como fazer cursos para blogueiros, aprender a estruturar um blog e escrever para web, ler livros, aprender sobre programas de afiliados, etc. Todos esses são investimentos que valem a pena, considerando o ótimo retorno para uma empresa, ou até mesmo pessoalmente.

Como criar um blog de moda rápido, fácil e grátis

Existe uma tendência muito grande de se trabalhar com moda e comentar sobre o assunto.

Além de ser algo muito interessante (admiro quem entende disso) é extremamente simples criar um site ou blog falando sobre moda e publicá-lo na internet. Para você ter uma ideia, os passos que vou passar logo abaixo levaram exatamente 4 minutos para serem feitos.

Antes disso… Tudo o que você aprender nesses passos pode ser aplicado a qualquer nicho: unha, desenho, papel de parede, cursos de ingles etc.

É extremamente simples e descomplicado.

O primeiro passo é pensar o que um blog de moda precisa para ter sucesso e quanto você poderá ganhar com ele. Voce precisa basicamente desenhar o que deseja e dar seus toques pessoais.

Uma análise bem bacana

De acordo com a ferramenta de análise de palavras-chave do Google, as 10 keywords mais pesquisadas que contém a palavra “moda” representam mais de 600 mil buscas mensais. Unindo isso a várias combinações que os leitores podem fazer no momento da busca, ultrapassamos 1 milhão de pesquisas mensais. De acordo com a distribuição de visitas, divulgada pela empresa americana de publicidade Chitika, e divulgada pela Search Engine Watch, temos:

  • 1º lugar no Google recebe 32,5% das visitas: nesse caso, um blog sobre moda que ficasse nessa posição receberia 320 mil visitas por mês.
  • 2º lugar no Google recebe 17,6% das visitas: nesse caso, um blog sobre moda que ficasse nessa posição receberia 176 mil visitas por mês.
  • 3º lugar no Google recebe 11,4% das visitas: nesse caso, um blog sobre moda que ficasse nessa posição receberia 114 mil visitas por mês.
  • 4º lugar no Google recebe 8,1% das visitas: nesse caso, um blog sobre moda que ficasse nessa posição receberia 81 mil visitas por mês.
  • 5º lugar no Google recebe 6,1% das visitas: nesse caso, um blog sobre moda que ficasse nessa posição receberia 61 mil visitas por mês.
  • 6º lugar no Google recebe 4,4% das visitas: nesse caso, um blog sobre moda que ficasse nessa posição receberia 44 mil visitas por mês.
  • 7º lugar no Google recebe 3,5% das visitas: nesse caso, um blog sobre moda que ficasse nessa posição receberia 35 mil visitas por mês.
  • 8º lugar no Google recebe 3,1% das visitas: nesse caso, um blog sobre moda que ficasse nessa posição receberia 31 mil visitas por mês.
  • 9º lugar no Google recebe 2,6% das visitas: nesse caso, um blog sobre moda que ficasse nessa posição receberia 26 mil visitas por mês.
  • 10º lugar no Google recebe 2,4% das visitas: nesse caso, um blog sobre moda que ficasse nessa posição receberia 24 mil visitas por mês.

Note que se você criar um blog com conteúdo bom falando sobre moda, que fique na primeira página, o mínimo de visitas que você receberá é 24 mil por mês. Considerando que algumas vezes seu blog mudará de posição, é possível que você receba ainda mais visitas. O que é provável, e muito aceito na internet, é que você tenha um certa dificuldade nesse nicho por ser relativamente concorrido, porém algumas pesquisas de termos longos podem garantir uma posição boa e excelentes visitas. Outro ponto que pode interessar você é o CPC Médio, que é quando pode valer cada clique nos anúncios de um site sobre moda. Encontrei CPCs indo de 0,20 até 4,00 reais, o que é um excelente motivo para você criar seu blog ou site agora e começar a compartilhar sua opinião ou seu conhecimento com os leitores.

Mas, como começar?

A maneira mais rápida, fácil e prática e publicar um site com blog na internet é utilizando o Webnode. Logo abaixo, vou mostrar um passo a passo bem simples para você publicar seu site agora mesmo.

Passo 1 – criar conta

Logue em sua conta do Webnode (ou crie uma conta nova) e clique em Criar novo site.

Passo 2 – criação

Dê um nome ao seu novo site e clique em “Registre-se e crie o seu site”.

Aguarde até que o site seja criado.

Passo 3 – sites pessoais

Selecione a opção Sites Pessoais.

Passo 4 – slogan

Coloque um Slogan, escolha o idioma do seu novo site e clique em Continuar

Passo 5 – template

Escolha um template relacionado ao nome do site. Aqui eu escolhi um tema com fundo azul, que remete à praia e combina muito bem com fotos coloridas, de roupas de praia, por exemplo. Quando você for escolher, pode perder um pouco mais de tempo para achar o template que mais lhe agradar. Depois disso, clique em Continuar.

Passo 6 – páginas padrão

Agora chegou a hora de escolher quais páginas vão em seu blog de moda. Algumas são padrão, como Sobre, Contato, etc. Mas é você quem decide o que fica e o que sai. Em seguida basta clicar em Concluir. Pronto! Seu site foi criado e está disponível no endereço gerado pelo Webnode.